Nossa dieta é composta por alimentos que contém proteínas, carboidratos, gorduras, vitaminas, oligoelementos e sais minerais. Em relação às gorduras existem aquelas de origem vegetal (óleos vegetais, castanhas) e as de origem animal (gordura da carne, ovos e dos leites).

Algumas gorduras, especialmente as de origem vegetal, possuem moléculas muito grandes e com várias ligações químicas. São os chamados ácidos graxos poliinsaturados de cadeia longa.

 

Vários estudos mostram que a ingestão apropriada desses ácidos graxos em quantidade e qualidade associa-se ao adequado crescimento, melhor desenvolvimento do cérebro e visual, prevenção de algumas alergias e de doenças cardiovasculares.

 

Nosso organismo não consegue sintetizar alguns destes ácidos graxos e por isso é fundamental obter- los  através da alimentação para que nosso metabolismo possa funcionar adequadamente.

Existem dois grupos de ácidos graxos essenciais: ácidos graxos de cadeia longa da família ômega-6 (ácido linoléico) e da família ômega-3 (linolênico). O produto final do metabolismo dessas gorduras são o DHA (ômega-3) e ARA(ômega-6).

 

Quais alimentos contém ômega-6 e ômega-3 ?

 

Ômega-6: óleos vegetais (soja), sementes e nozes

 

Ômega-3: castanhas, peixes e linhaça

 

Crianças menores de um ano (bebês) têm acelerado crescimento e desenvolvimento. Isso significa que há intensa multiplicação celular e amadurecimento dos sistemas, principalmente, do sistema nervoso central. A criança nasce com o cérebro bastante imaturo e com o passar dos meses, há modificações importantes na sua estrutura e funcionamento como a mielinização*. A mielina é uma “capa” de gordura que o neurônio recebe para que possa funcionar de forma adequada. Grande quantidade das gorduras dessa cobertura gordurosa é composta por ácidos graxos da família ômega-3. Por isso a criança deve receber quantidade adequada dessa gordura.

O leite materno contém uma quantidade boa dessas gorduras já prontas ( DHA e ARA)  para o bebê utilizar, a quantidade varia conforme a alimentação da mãe. Na alimentação complementar é importante oferecer para as crianças alimentos fonte dessas gorduras já prontas, como peixe de água fria (sardinha, arenque, salmão, truta), gorduras vegetais, entre outros.

 

*Mielinização : a mielinização é um processo que acontece desde o período intrauterino e continua até os sete anos de idade, mas o seu pico ocorre até os dois anos. O cérebro nasce formado mas é imaturo, para funcionar de forma adequada os neurônios devem receber uma capa de gordura chamada “mielina” que é composta por diversos ácidos graxos, especialmente por DHA. Essa capa de gordura é como um isolante que permite que as informações passem de neurônio para neurônio sem interferência (encapamento de um fio). Para que a capa de mielina se forme de forma adequada é importante que a criança recebe uma alimentação balanceada e com oferta adequada de gorduras como ácidos graxos essenciais, DHA e ARA.

Fonte: pediatraonline.com.br