PREbióticos: É um tipo de fibra não digerível que serve de alimento para as bactérias benéficas normalmente presentes no colon (intestino grosso) estimulando o seu crescimento.

 Benefícios:Essas fibras podem melhorar a saúde intestinal, a função imunológica, o metabolismo de glicose, a absorção de gorduras, cálcio, ferro e a consistência das fezes. Os mais conhecidos são a inulina e a oligofrutose..

 Fontes:Alimentos que normalmente são fonte de prebióticos: grãos integrais (especialmente aveia), linhaça, cevada, baga, frutas em geral, legumes, cebola e alho.

O leite materno contém naturalmente uma quantidade significativa e muito variada de prebióticos chamados oligossacarídeos.

 

PRObióticos – São microorganismos vivos (bactérias e fungos) que estão presentes em alguns alimentos e medicamentos comuns ao nosso dia a dia. Quando consumidos em quantidades adequadas esse microorganismos conseguem sobreviver à digestão e acidez gástrica, chegando vivos ao intestino grosso (cólon) onde se instalam e modificam a microbiota (Flora intestinal ) , trazendo benefícios à saúde do hospedeiro.

A microbiota intestinal é um conjunto de diferentes espécies de bactérias que normalmente          habitam e protegem nosso intestino. Uma microbiota saudável tem mais de 1.000 espécies diferentes de bactérias, com predomínio dos lactobacilos e bifidobactérias (probioticos). 

Benefícios:Formação de uma microbiota com predomínio de bactérias protetoras como bifidobactérias e lactobacilos. A instalação de bactérias protetoras protege o intestino contra agentes e microorganismos agressores;

Melhora da digestão de lactose;

Influenciam na imunidade em curto e longo prazo;

Protegem contra infecções intestinais, como diarréias.

           Fontes:Uma fonte importante de probióticos é o leite materno. Hoje, por meio de estudos avançados, sabe-se que a mãe passa para o seu bebê uma série de bactérias que ajudam na formação das defesas do intestino e do amadurecimento da imunidade. 

               

Alguns alimentos para bebês indicados para a faixa etária;

Alguns cereais infantis fortificados;

Iogurtes e leite fermentados

Alguns queijos

Medicamentos: cápsulas ou saches

Além dos benefícios já conhecidos o uso de probióticos também tem sido estudado para:

 

Tratamento da diarréia aguda

Prevenção da diarréia associada ao uso de antibiótico

Diarréia em crianças hospitalizadas

Enterocolite necrozante (infecção grave que atinge recém-nascidos prematuros internados)

Prevenção de doenças alérgicas

Prevenção de infecções respiratórias

Prevenção de infecção por H.pylori (bactéria relacionada à úlcera gástrica)

 

Constipação

 

Prebióticos = Fibras alimentares

Probióticos = Bactérias benéficas

Fonte: pediatraonline.com.br