A dor de cabeça (também conhecida como cefaleia) é muito frequente, especialmente, entre os adolescentes.

Aproximadamente 2/3 dos jovens citam que já tiveram algum quadro de cefaleia até os 15 anos de idade. Na grande maioria das vezes trata-se de um processo limitado e sem maior gravidade.

As causas de cefaléia são muito variadas, dependem da idade da criança e se há ou não sintomas associados. Entre as causas agudas destacam-se os processos infecciosos das vias aéreas superiores (rinites, sinusites, infecção de vias aéreas em geral) e nas de caráter crônico vale citar, pela freqüência, a enxaqueca e a cefaléia tensional.

A avaliação pediátrica pode direcionar a causas e o tratamento da cefaléia. Quais seriam os possíveis sinais de alerta preocupantes que devem ser observados quando a queixa é de cefaléia:

 

Início súbito e agudo em quem nunca teve

 

Após um trauma cranioencefálico (batida na cabeça)

 

Febre alta com rigidez da nuca ou aparecimento de manchas pela pele

 

Dor de forte intensidade que leva até ao despertar do sono, sem antecedentes pessoais ou familiares de enxaqueca

 

Cefaléia que vem acompanhada de hipertensão arterial sistêmica, perda de peso, visão borrada, convulsão, dificuldade para enxergar ou redução de alguns movimentos

 

Quais as características de um quadro de enxaqueca?

 

Caracterizada por vários episódios de cefaléia, com duração de 4 a 72 horas, geralmente, em uma das metades da cabeça, pulsátil, de intensidade de moderada a intensa. Pode vir acompanhada de náuseas, fotofobia (sensibilidade à luz), pode ou não ter aura (dor acompanhada de alterações  distúrbios visuais, auditivos, sensitivos e motoras. Ex: visão borrada, formigamento, ruído no ouvido, alucinações, tonturas). É comum outros membros da família também terem.

O quadro pode ser desencadeado por vários fatores como exposição solar, barulho, odores, exercícios, menstruação, estresse, alteração do ritmo do sono, álcool, cafeína, desidratação e dieta (queijos, alimentos gordurosos, monoglutamato dissódico, aspartame).

 

Quais as características da cefaléia tensional ?

 

Tem intensidade leve a moderada, na cabeça toda, contínua, em aperto ou pressão. Não piora com atividade física, nem é acompanhada por fotofobia, náuseas e vômitos. Pode estar presente em situações de estresse.

 

O tratamento da cefaléia vai depender da causa. De forma geral os objetivos são:

 

Tratar a causa

 

Afastar os fatores desencadeantes, no caso da enxaqueca;

 

Prevenir novos episódios

 

Diminuir ao máximo o desconforto e a freqüência das crises.

 

O uso de medicamentos, mesmo para dor, deve ser criterioso e sempre orientado pelo médico.

 

Fonte: pediatraonline.com.br